A manipulação fotográfica antes do Photoshop

Engana-se quem acha que a manipulação fotográfica é uma invenção da era digital. Softwares como o Photoshop apenas facilitaram uma prática que é tão antiga quanto a própria fotografia.

No passado, a edição de imagens era feita por meio da alteração de negativos e serviu a diversos propósitos, como aos dos líderes políticos que tentaram reescrever a história apagando das fotos seus desafetos.

O site Four and Six reuniu em um acervo alguns desses notáveis registros históricos. Confira:

Na fotografia de 1865, o General Sherman posa com outros generais. Posteriormente, o General Francis P. Blair foi adicionado à extrema direita.

 

Joseph Goebbels, o Ministro da Propaganda de Adolf Hitler foi removido da fotografia original (1937).

 

A fotografia do General Ulysses S. Grant em frente às tropas na Virginia, durante a Guerra Civil Americana, é resultado da combinação de elementos de três fotografias distintas: a cabeça foi tirada de um retrato de Grant, o cavalo e o corpo são do Major General Alexander M. McCook e o fundo é uma imagem de prisioneiros capturados durante a batalha de Fisher Hill (1864). (Clique para ampliar.)

 

Para parecer mais heroico, o ditador Benito Mussolini removeu da fotografia original o tratador do cavalo (1942).

 

Stalin ficou famoso por apagar seus desafetos de suas fotografias. Nesta, o comissário Nikolai Ivanovich Yezhov foi removido após cair em desgraça com o ditador soviético (1930).

 

O Bando dos Quatro – facção política radical composta por quatro dirigentes do Partido Comunista da China – foi removido do registro de uma cerimônia em memória de Mao Tsé-Tung realizada na Praça da Paz Celestial.  O grupo se destacou durante a Revolução Cultural e foi posteriormente acusado de uma série de crimes (1976).

 

Mao Tsé-Tung (à direita, com as mãos na cintura) retirou da fotografia original seu desafeto Po Ku, dirigente do Partido Comunista da China (1936).

 

Na fotografia original estão a Rainha cartoon xxx Elizabeth, o primeiro-ministro canadense William Lyon Mackenzie King e o Rei George VI. A remoção do rei da Inglaterra se deu para que o primeiro-ministro usasse a imagem em um cartaz eleitoral (1939).

 

O famoso retrato do presidente americano Abraham Lincoln é uma junção de sua cabeça com o corpo de John Caldwell Calhoun, 7º vice-presidente dos Estados Unidos (1860).

 

Acredita-se que essa foto alterada tenha contribuído para a derrota eleitoral do senador Millard Tydings em 1950. Nela, Tyndings (à direita) foi colocado ao lado do líder do partido comunista americano Earl Browder (à esquerda), sugerindo que Tyndings simpatizava com o comunismo.

 

Em 1968, quando Fidel Castro (à direita) aprovou a intervenção soviética na Tchecoslováquia, o ativista político Carlos Franqui (no meio da fotografia original) cortou relações com o regime castrista e foi para o exílio na Itália. Após o episódio, sua imagem foi removida dos registros fotográficos.

 

O cosmonauta russo Grigori Nelyubov foi removido da imagem original após ser expulso por mau comportamento do programa espacial soviético. A equipe era liderada por Yuri Gagarin, primeiro homem a completar uma volta na órbita da Terra (1961).

Via Retronaut.