O diabo, o blues e Robert Johnson

Robert Leroy Johnson, figura importante para o blues pela padronização do consagrado formato de 12 compassos e um dos bluesmen mais influentes do século XX, teve carreira e vida muito curtas. Morreu aos 27 anos, depois de compor e gravar apenas 29 canções. Entre elas, os clássicos Crossroads Blues,  They’re Red Hot, Stop Breaking DownLove In Vain e Walking Blues  que ganharam versões de músicos de diferentes gerações como White StripesJeff Healey, Eric Clapton, Rolling StonesRed Hot Chilli Peppers.

A vida do mestre do blues era repleta de misticismo, mistérios e lendas. Uma dessas lendas conta que seu talento musical seria fruto de um pacto firmado com o diabo. De acordo com o mito, Robert Johnson teria ido, com seu violão na mão, até a encruzilhada das rodovias 61 e 49 em Clarksdale, no Mississippi. Quando deu meia-noite, o diabo em forma de homem apareceu e afinou o instrumento. A lenda acabou ganhando força por causa das letras de algumas de suas músicas como Me And The Devil Blues.

Me And The Devil Blues foi gravada em 1937, em dois únicos takes. Abaixo você confere uma animação da canção feita pela artista holandesa Ineke Goes.

 

Via Open Culture.